O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





quarta-feira, 21 de março de 2018

Antes da lua renascer



As árvores perderam suas folhas,
os rios secaram as suas águas.
Carrego no peito trevas tão tolas
desde que passei a guardar mágoas.

Um dia eu já toquei a luz,
lembro-me ainda de seu calor e amor.
Abria o meu coração sem restrição,
mas em troca fui agraciada com a dor.

Sua inveja e sua amarga ingratidão
arrancaram de minh’alma a afeição.
Mas os urubus jamais voarão como as águias
e seu futuro será a carniça da minha caça.

Caminho pela jornada solitária,
meu cajado desbrava a floresta escura.
Toda a minha doçura está amarga
desde que a raiva corrompeu minh’ alma pura.

Com os olhos embaçados pelas lágrimas,
avisto um caminho estreito entre duas torres.
Saio do rio lamacento das mágoas
em direção as gotas de luar sobre as flores.

Eu encontrarei os meus defeitos
dentro das trevas do noturno espelho.
No espelho da noite, há uma câmara secreta,
onde jurarei ser virtuoso e correta.

Dentro do rio, fui guiada por um caranguejo
enquanto encarava todos os meus os meus desejos.
Ao sair do rio, avistei a terra e dois lobos
que uivavam em busca de um tesouro.

No rio das mágoas e memórias do passado,
nadava como uma sereia emotiva.
Mas agora me purificarei dos fados
quando o anjo da temperança tocar a vida.

E, quando minha cauda vira pernas,
vejo a lua iluminando as trevas.
Ainda percebo a luz do sol através dela,
e fico esperançosa pela redenção terna.

A lua estava perturbada e confusa,
sendo disputada por fadas e bruxas.
Mas, no meio do caos, avistei uma bússola
que me indicou o caminho da minha cura.

Corro entre a floresta com arco e flecha,
caçando a redenção e novas ideias.
Encontrei um anjo cheio de brilho e luz
que me disse para lembrar de momentos bons.

Apago as minhas mágoas do caderno da vida,
reescrevendo as páginas com elogios e alegrias.
Ganho um vestido prateado e uma coroa florida
e avisto anjos tocando flautas e recitando rimas.

Avisto um cavalo branco a correr
enquanto uma nova porta se abre.
O dia está prestes a amanhecer
e a lua no sol floresce e renasce.

Poesia mística escrita por Tatyana Casarino

*Inspiração: Arcano XVIII do Tarô — A Lua.

Outras representações do Arcano citado:








   Esta poesia é um alerta para a negatividade acumulada em nossos corações. Infelizmente, o ser humano tem a tendência de recordar mais os momentos ruins do que bons. Isto gera um desequilíbrio sentimental e inconsciente (regido pela lua). Precisamos parar de remoer as mesmas e velhas mágoas, pois mágoas formam um rio lamacento na alma de água parada e suja. Aliás, mágoa quer dizer "má água". A água é o elemento que representa os nossos sentimentos. Sendo assim, precisamos nos banhar em águas limpas, purificar os nossos corações e renovar o nosso espírito. 

             

   O arcano XVIII do Tarô representa o momento em que encaramos as nossas sombras, dúvidas e traumas para podermos renascer puros e limpos outra vez como umacriança sorridente sobre um cavalo branco -- igual ao prenúncio do Arcano seguinte (o Sol). 
     O arcano XVIII é a Lua, regente do signo de câncer. Um dos grandes defeitos desse signo é a mágoa. Deus deu aos cancerianos uma memória privilegiada que deve ser canalizada para o bem e para o encontro com as nossas raízes. Ocorre que o ser humano tem a tendência a focar mais no negativo do que no positivo. Mais nos motivos que geram mágoas do que naqueles que produzem gratidão. E, se pararmos para pensar, teremos muito mais motivos para sermos gratos do que para sermos magoados.
       Sou canceriana e sei bem como é enfrentar o desafio da mágoa hehehe. Vou compartilhar uma história engraçada que representa bem o defeito da negatividade humana. Na quinta série, a minha professora de inglês propôs um desafio -- a de que fizéssemos uma lista de adjetivos para nossos colegas de sala de aula. Cada aluno deveria escrever um adjetivo em inglês para cada colega. Estávamos aprendendo sobre adjetivos e eu sempre gostei muito de estudar inglês. No final do desafio, recebíamos uma lista com aproximadamente vinte adjetivos (éramos vinte e poucos alunos, salvo engano). Cada colega nosso tinha dado um adjetivo para nós. Havia vários adjetivos positivos na minha lista (beutiful- bonita, smart- inteligente...). Todavia, eu não fiquei feliz com os elogios na época e nem lembro das qualidades que recebi. O motivo -- tinha recebido um adjetivo negativo a meu ver na lista. Fiquei encucada com aquela característica negativa. Algum coleguinha me considerava "sad", ou seja, triste. 
    Ao invés de ficar feliz com os inúmeros adjetivos positivos, fiquei encucada justamente com aquele negativo que tinha recebido. Fiquei perturbada e perguntei para a minha mãe se ela me considerava triste hehehe. Sempre fui uma pessoa feliz.Sou emotiva em verdade. Não escondo lágrimas, mas também valorizo o riso. Na época, entendi que,como tenho o perfil mais introspectivo, quieto e sempre fui "na minha", transmitia algo "misterioso" e talvez "melancólico". Dessa forma, reinterpretei o adjetivo "sad" de modo positivo. 
     Mais tarde, lendo livros de Augusto Cury, um psiquiatra e escritor que adoro, descobri que não podemos apagar as más lembranças da mente -- os consultórios psiquiátricos estão lotados de pessoas que não sabem lidar com suas recordações e frustrações. Mas, podemos dar um novo significado aos acontecimentos ruins -- significados de sabedoria e perspectivas positivas ao invés de vitimistas. A maioria do trabalho da terapia é limpar a "visão" distorcida e traumatizada do paciente em relação ao seu passado e não limpar o passado (não tem como, não é, minha gente). 
     Por trás de todo adjetivo negativo, existe um positivo. Por trás de toda crítica construtiva, existe um aprendizado. Por trás de cada crítica destrutiva, existe a chance de provar o nosso valor e a nossa perseverança.Por trás de todo acontecimento ruim, existe um aprendizado de sabedoria. Se não vermos as coisas boas por trás das ruins, tornamo-nos depressivos e amargos. Se não vermos a flor de lótus florescendo da lama, afogamos a alma no rio lamacento da mágoa. 
       Alguns exemplos de adjetivos negativos e suas perspectivas positivas



*Triste -- Pode significar que você passa uma aura melancólica e até charmosa. Não precisa interpretar do pior jeito como se ou outros te vissem como alguém depressivo e estranho.
*Metido -- Pode significar que você chama a atenção por onde passa mesmo sem ter consciência disso. Sem dúvidas, você não é insosso e não passa despercebido. Pode ser que você passe algo chique, autoconfiante e magnético. Não necessariamente que você passa uma soberba ruim. 
*Nervoso -- Significa que você tem temperamento forte. Mais uma vez, você não é insosso. Não quer dizer que você seja violento, ruim ou algo do tipo. Apenas que você é uma pessoa de gênio forte.
*Antissocial -- Pode significar que você é mais "na sua", tímido ou que não envolve com "panelinhas" e bandos. Melhor ser antissocial do que "maria-vai-com-as-outras." Pode significar personalidade autêntica e não necessariamente alguém antipático ou que não gosta de pessoas. 

                 


     Esses são apenas alguns exemplos de adjetivos "negativos" reinterpretados sob a boa perspectiva. Quantas vezes na vida focamos mais nas críticas do que nos elogios... Muitas vezes! Infelizmente, supervalorizamos as coisas ruins e subestimamos as coisas boas. Supervalorizamos os acontecimentos ruins e ficamos magoados ao invés de darmos a atenção merecida às coisas boas e sermos gratos, felizes e leves. 
    Certa vez, vi um psiquiatra dando uma explicação biológica à negatividade humana. Ele disse que nosso cérebro foi acostumadoa focar nas coisas ruins para poder escapar do perigo. Exemplo -- Estou em uma floresta caçando e há um bicho perigoso atrás de mim. Ao invés de eu focar nas flores, na beleza dos rios e nas árvores frutíferas, eu vou focar no bicho perigoso obviamente hehehe. Afinal, é o jeito de minha mente dizer "saia correndo e preserve a sua vida". Esta seria uma "negatividade útil", uma forma nobre de gastar energia. Trata-se de instinto de sobrevivência.
    Ocorre que não estamos mais em florestas perigosas. Vivemos em boas casas. Construímos civilizações. E a nossa mente ainda está muito atrasada em relação à evolução de nossa vida. Gastamos energia emocional inútil -- tal gasto é denominado GEEI no livro "Gestão da Emoção de Augusto Cury -- e, assim, sobrecarregamos o nosso cérebro com uma negatividade desnecessária. Gastamos energia emocional desnecessária quando choramos por bobagens e quando supervalorizamos coisas ruins -- mágoas do passado e preocupações infundadas com o futuro. Mais uma vez, a psiquiatria tradicional confirma aquilo que a Espiritualidade Budista há muito tempo havia dito de que a mente é enganosa em relação ao tempo. Sendo assim, a chave da felicidade não é somente a concentração no momento presente, mas também a boa interpretação do passado e a confiança no futuro. Enquanto as pessoas não aprenderem a se concentrar no momento presente, a depressão e a ansiedade continuarão a ser o mal do século XXI, XXII, XXIII... Impossível ler autoajuda psiquiátrica mais "tradicional" e não se lembrar da literatura budista e do livro "O Poder do Agora." 

               
       Para driblar a minha negatividade (quero ser uma pessoa mais positiva, minha gente), comprei um caderno de autoanálise e autoconhecimento para mim (gosto de ser a minha própria terapeuta hehehe). Sempre tive caderninhos assim, onde relato as metas de evolução espiritual e psicológica. No caderno mais recente, coloquei um desafio para mim mesma -- escrever o máximo de lembranças boas e elogios recebidos que eu conseguir. Desse modo, quando a minha mente me atormentar com alguma crítica, acontecimento ruim ou trauma, eu pego o caderno e leio tudo de bom que já aconteceu comigo. É uma forma de driblar a visão distorcida, magoada e atormentada do ego. Nossa principal missão é limpar nossa visão e enxergamos as pessoas e situações de forma lúcida, límpida, cristalina, racional e grata. 
    Apelidei esse meu caderno de "Caderno da vida". Pretendo através da escrita, dar bons significados ao passado, ao presente e ao futuro. Primeiramente, dou novos significados ao passado, lembrando de boas situações e interpretando as ruins de modo sábio ao anotar a sabedoria adquirida. Quanto ao presente, farei uma espécie de "diário da gratidão" para agradecer as pequenas coisas boas do cotidiano que poderiam passar desapercebidas. Depois, farei anotações com os sonhos e projetos bons para o futuro. Desse jeito, terei uma linha de tempo (passado, presente e futuro) boa na minha mente e uma noção positiva da minha vida. Experimente fazer isso também! 

             
     Ser uma pessoa sensível significa ter alta capacidade de absorção. Isto pode ser uma bênção ou um fardo dependendo do que você resolve absorver -- se são coisas positivas ou negativas. Eu percebi que, infelizmente, absorvia muitas coisas negativas desnecessariamente enquanto coisas boas passavam despercebidas. Hoje coloquei um desafio para mim, uma meta de vida -- absorver o máximo de coisas positivas e deixar de dimensionar as negativas. Algo que ajuda muito na saúde mental e que eu costumo fazer (Augusto Cury costuma elogiar bastante esta capacidade) é a habilidade de contemplar o belo. Gosto muito de contemplar o belo (não somente o belo exterior, mas o belo significado das coisas). Admirar as flores, contemplar a natureza, observar as nuvens no céu, ficar ouvindo barulhinho da chuva... Pequenas coisas que irrigam a saúde mental. 
      Espero que a Poesia sirva de reflexão para você vencer as águas lamacentas das mágoas e encontrar a sua temperança. Quando estamos imersos na tristeza ou na confusão mental, há sempre um anjo conosco tentando nos ajudar e mostrar a luz por trás das sombras. Espero que o seu anjo da temperança mostre a você o caminho da luz. O sol sempre amanhece mais bonito após as noites mais escuras.

Tatyana Casarino 

*Observação --Siga a minha dica. Compre um caderno que seja pautado (cadernos que possuem linhas para serem preenchidas, aqueles cadernos escolares normais) e transforme o mesmo em seu "Caderno da Vida". Não é tão caro um caderno. Se compramos cadernos para estudar as matérias da escola e faculdade, por que não investirmos na nossa disciplina mais importante -- a da nossa felicidade. Escreva coisas positivas a respeito de seu passado, presente e futuro. Deixe de ser vítima de suas mágoas e passe a ser autor da própria história! 
     

2 comentários:

  1. >> Sendo assim, precisamos nos banhar em águas limpas, purificar os nossos corações e renovar o nosso espírito. << Precisamos tornar isso um hábito, só assim poderemos evoluir mais e transformar radicalmente o mundo ao redor. >> Ao invés de ficar feliz com os inúmeros adjetivos positivos, fiquei encucada justamente com aquele negativo que tinha recebido. << Fazemos isso mais vezes do que percebemos. >> Se não vermos as coisas boas por trás das ruins, tornamo-nos depressivos e amargos. << Isso é algo comum hj em dia, infelizmente. Amei sua reinterpretação de alguns adjetivos negativos. >> No caderno mais recente, coloquei um desafio para mim mesma -- escrever o máximo de lembranças boas e elogios recebidos que eu conseguir. Desse modo, quando a minha mente me atormentar com alguma crítica, acontecimento ruim ou trauma, eu pego o caderno e leio tudo de bom que já aconteceu comigo. << É um bom exercício para se fazer diariamente, vou fazer também, hehehehe. E isso também ajuda a, no final do dia, prepararmos nosso cérebro para lembrar só das coisas boas que aconteceram durante o dia, deixando de lado o que não nos fez bem. No caderno mais recente, coloquei um desafio para mim mesma -- escrever o máximo de lembranças boas e elogios recebidos que eu conseguir. Desse modo, quando a minha mente me atormentar com alguma crítica, acontecimento ruim ou trauma, eu pego o caderno e leio tudo de bom que já aconteceu comigo. Vou fazer.... >> Quanto ao presente, farei uma espécie de "diário da gratidão" para agradecer as pequenas coisas boas do cotidiano que poderiam passar desapercebidas. << Diário da gratidão tenho graças a você. Ameiiiii essas suas ideias. Você é uma verdadeira psicóloga de seus leitores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fernanda! Obrigada, amiga pelo comentário maravilhoso. Fiz um Caderno da Vida e funcionou. Me sinto muito mais leve. Inclusive no meu caderno eu anoto os elogios carinhosos que recebo nesse blog. Tem muitas coisas boas lá que escrevi sobre você. O Caderno da Gratidão eu faço também, procurando listar 10 coisas pelas quais sou grata diariamente. Feliz em saber que você também tem os seus caderninhos positivos e que eu inspiro os meus leitores a terem mais paz no coração e a serem mais saudáveis psicologicamente. Beijos!

      Excluir