O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





domingo, 22 de outubro de 2017

O perfume do Vampiro



Na neblina do cemitério, ele vaga
à procura de sensações de prazer.
E, quando aparece aquela maga,
o vampiro a persegue para morder. 

Todas as demais mulheres atacadas
morrem ou viram vampiras pálidas.
Mas, aquela mulher é bem diferente,
pois ela sempre tem o sangue quente.

O relógio soa as badaladas noturnas
enquanto no céu brilha pálida a lua.
Pelo castelo, o vampiro corre ferozmente
até ver a donzela de sangue mais quente.

Ele se esconde dentro do espelho dela
depois de apagar todas as suas velas.
E, quando ela veste a camisola branca,
ele sussurra poesias de forma mansa.

Ela sorri ao escutar uma voz encantadora
enquanto escovava os longos cabelos. 
Ela se fascina com a sua beleza toda
e acaba beijando o próprio espelho.

O vampiro solta uma larga gargalhada
enquanto grita de forma louca e sarcástica:
"Vaidade das vaidades, você é pecadora,
entregar-se-á a mim nesta noite promissora."

Ao invés de ver os próprios lábios refletidos,
ela percebe que beijava os lábios do vampiro.
Ele puxa a dama para dentro do espelho,
e ela se depara com o seu quarto invertido.

"Toda mulher é corrompida por elogios,
pois eles despertam a narcisística libido."
Sussurrava o vampiro em seus ouvidos
enquanto mordia a dama entre gemidos.

Ele acaricia o ventre dela antes dos seios
enquanto sussurra todos os seus desejos.
"Hoje eu quero a dama mais poderosa."
Dizia o vampiro ao rasgar a sua camisola.

"Você não me ama, mas ama a si mesma,
você não me deseja, mas deseja a si mesma.
Sinta o meu desejo por você e me devolva
em forma de carícias e fantasias tolas."

"Eu amo você, meu querido vampiro,
eu admiro você, meu amante noturno.
Mas confesso que expresso a narcisística libido,
pois voltado para dentro é o fogo feminino."

"Desde que o mundo é mundo, é assim:
a mulher ganha pela sensualidade e beleza
enquanto o homem ganha por sua inteligência.
Sem audácia, não há começo nem fim."

"Você me revelou o que há de melhor em mim,
merecendo todas as sensações doces e infinitas. 
Saber que sou bela para você é o que me faz arder,
saber que produzo o seu prazer é o que me dá prazer."

O vampiro morde a dama que geme docemente
antes de arranhar a nuca de marfim gélido dele. 
Cada gota de sangue que cai no lençol branco da cama
acaba virando uma pétala de rosa vermelha profana.

Ela adormece com a cabeça sobre o peito áspero dele,
fazendo cócegas nele com a sua face rosada e macia.
Mas, quando ela acorda, não há mais rosas nem vampiro,
e o seu quarto volta à posição que há fora do invertido. 

Um perfume marcante é tudo o que restou daquela noite
que lembra o aroma de jasmins misturadas com rosas.
O perfume do vampiro remete ao prazer e ao açoite
que a mordida dele causou em sua sensual história.

Poesia escrita por Tatyana Casarino




  Esta poesia trata de prazer feminino sem tabus e desmistifica a velha lenda de que a mulher é "interesseira". É comum vermos mulheres bonitas com homens que não são tão bonitos, o que incita um equivocado pensamento nas pessoas: "deve ser por causa do dinheiro dele". Entretanto, nós mulheres buscamos sim romances verdadeiros e nos importamos com as personalidades de nossos parceiros. 
   Ocorre que, muitas vezes, o homem ganha a mulher pela inteligência e astúcia, seduzindo a sua parceira quando ela se apaixona por ela mesma através do sentimento dele. Sentir-se valorizada eleva a autoestima feminina e faz a mulher cair nos braços de homens que não são bonitos. Em geral, o homem se encanta pela visão (por isso, a beleza da mulher chama a sua atenção) enquanto a mulher se encanta pela audição (a mulher é sensível a tudo o que o homem fala para ela). 

                    

   
      Por essa razão, muitas vezes, a mulher é seduzida por elogios. Pelo que eu percebo entre as mulheres, a inteligência e a força são virtudes valorizadas na hora de arranjar um pretendente. Nessa hora, nota-se uma feliz (ou infeliz) coincidência: os homens mais cultos e espertos estão na alta sociedade. É claro que há mulheres fúteis e interesseiras que se apaixonam pela carteira e pela conta no banco ao invés de se apaixonarem pelos namorados. 
     Não obstante, em geral, as mulheres são apaixonadas de verdade por seus parceiros (dificilmente uma mulher aceitaria conviver com alguém por quem não nutre sentimentos, já que a alma feminina é sensível por natureza e busca carinho) além de serem apaixonadas por si próprias (hehehe). 
     Apaixonar-se por si mesma é requisito fundamental para uma autoestima saudável, para amar o parceiro e para sentir prazer. Talvez o problema das mulheres que não atingem o prazer seja simplesmente falta de autoestima (uma questão delicada para muitas). 
    A mulher precisa estar de bem com a vida, de bem com o próprio corpo e se amar primeiro antes de se entregar para alguém. O prazer feminino é mais complexo, interno e psicológico. Já o prazer do homem é voltado para fora e facilmente instigado por vislumbres sensoriais e visuais. Digamos que o prazer da mulher é um labirinto que requer inúmeros estímulos enquanto o do homem é um alvo que requer um único tiro. Conciliar labirinto e alvo é tarefa de equilibrista hehehe. Por esse motivo, a mulher é mais "difícil" de ser conquistada enquanto basta uma olhada para o homem se encantar. 
      Por fim, repito: não somos interesseiras. Nossa beleza vale pela falta de beleza de nossos parceiros (hehehe). Não estamos atrás de dinheiro, mas atrás de autoestima (o que não tem preço). O homem sedutor é aquele que eleva a autoestima da parceira. Não nos interessamos pelo carro do namorado (mulheres não entendem quase nada acerca de carros e máquinas). É claro que, se aparecer um vampiro charmoso e rico dirigindo um Volvo como o Edward de Crepúsculo, ele vai chamar a atenção da mulher (hehehe). Mas, não é o dinheiro que buscamos, é o prazer narcisista. Por essa razão, é o homem que conduz a paquera (ou pelo menos era antes do feminismo radical estragar o cortejo).  

                 

       
          Muitas mulheres têm vergonha de admitir a sua vaidade e o seu lado narcisista, preferindo até serem chamadas de interesseiras do que explicarem a razão pela qual foram conquistadas. Mas, neste blogue, não há tabus. Eu escrevo análises psicológicos profundas, pois o funcionamento da psique feminina (e de todos os seres humanos em geral) me fascina.
        Sempre defenderei as mulheres em todos os lugares, pois esse é o meu dever! Que as mulheres sejam abençoadas e saibam se amar sem medo e sem vergonha. Um pouco de vaidade não é pecado e faz muito bem!

Tatyana Casarino


2 comentários:

  1. >> os homens mais cultos e espertos estão na alta sociedade. << Não tinha parado para analisar isso mas é verdade sim... Algo que falamos muito é no equilíbrio, não há necessidade de abrirmos mão de algum tipo de sentimento, o bom mesmo é quando há um pouco de tudo: amor, sedução, vaidade, inteligência, conquista, bom papo....enfim, são tantas as variáveis... Tudo pode coexistir.

    ResponderExcluir
  2. Olá, com certeza! A cultura é sedutora! Não é necessariamente a riqueza que atrai, mas a cultura. Infelizmente, em nosso país, o acesso à cultura e à educação de qualidade fica restrito a quem tem boas condições financeiras. Mas já conheci pessoas com boas condições financeiras, mas culturalmente pobres. A mulher precisa se apaixonar por si mesma, ter boa autoestima e de um companheiro que estimule positivamente aquela vaidade (saudável). Tudo pode coexistir. O importante é amar. Beijão

    ResponderExcluir