O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





quinta-feira, 16 de junho de 2016

Diamante bruto



Moça bonita da cidade na flor da idade,
inteligente e formada em Medicina.
Por dentro e por fora, ela é sempre linda.
O nome da doce flor é Cecília.

Ela apaixonou-se por um bicho do mato.
E o povo sempre mesquinho e chato
indagou à flor os motivos de seu amor.
Afinal, o que ela viu naquele homem do rio?

Homem cabeludo que vive entre os índios,
nadando no rio alegre e despido.
Doce brilho nos olhos e sorriso largo,
ele é bondoso e fala português errado.

A moça respondeu que nada viu,
ela simplesmente o sentiu.
E ver é um verbo diferente de sentir,
eis que sentir é viver e ver é se distrair.

Ele é o seu Tarzan contemporâneo,
a sua Fera amada e domada.
Ele é uma doce canção de Caetano
ouvida no silêncio da madrugada.

Ela o ama justamente por ele ser simples,
e, na simplicidade, mora o auge do requinte.
Ele é simples demais, simplesmente demais.
Ele é a personificação do que o amor é capaz.

Ele é o bom selvagem de Rousseau,
ele é a natureza em estado puro.
Doce amor que a civilização não acolheu
devido ao mar de hipocrisia do mundo.

Ele é o diamante bruto do Pantanal,
doce alma gêmea do Astral.
Por ele, ela largaria tudo na vida
para morar em uma cabana rodeada de cotovias.

Por ele, ela deixaria para trás tudo:
os amigos, a família e os títulos de Medicina.
Por ele, ela viveria em estado puro:
amando a natureza e fazendo poesias.

Um amor e uma cabana no meio do Pantanal,
o sentir das flores e o canto da cotovia.
Fazendo amor às cinco horas da madrugada,
beijando os lábios do amado numa perfeita rima.

Poesia escrita por Taty Casarino.

*Observação:

A interpretação da poesia tem caráter polissêmico, eis que permite vários significados de acordo com a leitura. Todavia, uma das formas de interpretar este poema é associar os versos ao enredo da telenovela "Bicho do Mato".

         

  Bicho do Mato é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Record e exibida entre 18 de julho de 2006 e 20 de março de 2007. Escrita por Bosco Brasil e Cristianne Fridman, a telenovela contou com a colaboração de Maria Cláudia Oliveira, Valeria Motta e Camilo Pellegrini. Houve a supervisão de Tiago Santiago. Bicho do Mato é uma regravação da telenovela homônima de 1972 e foi dirigida por Edson Spinello.
  É notável o seu elenco diverso composto por André Bankoff, Renata Dominguez, Miriam Freeland, Marcos Mion, Ana Beatriz Nogueira, Adriana Garambone, Thaís Fersoza, Márcio Kieling, Amandha Lee, Jonas Bloch, Beatriz Segall e Bia Seidl nos papéis principais. Tal telenovela foi reprisada entre 16 de março a 26 de junho de 2009, em 75 capítulos.
   A telenovela referida conta a história do jovem Lucas (Juba) interpretado pelo ator André Bankoff, criado desde pequeno pelo pai, Fernando, na Fazenda Boa Esperança, localizada no Pantanal. Juba, então, leva uma vida junto à natureza e convive com a aldeia indígena dos "Guaporá". Porém, ele se apaixonará por uma moça intelectual da cidade chamada Cecília, a qual tem um estilo de vida bastante diferente do dele.
   No Rio de Janeiro, vive a mãe de Juba, Laura, que se separou de Fernando devido a uma armação do seu atual marido, o cruel Ramalho Rodrigues, o vilão da história, o qual é um poderoso e ganancioso empresário que tenta usurpar as terras de Juba e dos índios para a exploração de uma mina de diamantes.

   Esta novela marcou a minha adolescência, eis que, quando ela passou pela primeira vez, eu tinha 14 anos e gostava de ler e assistir a tudo que tivesse caráter romântico hehehe (ok, eu admito sou romântica açucarada até hoje hehehe). Esta novela marcou uma época de minha vida onde eu estava substituindo as bonecas pela literatura, pois eu confesso que brinquei de bonecas até os 14 anos e comecei a escrever o meu primeiro livro aos 16 anos (quando a novela foi reprisada eu estava escrevendo o meu primeiro romance).
    Sempre gostei de ler desde a infância, sendo um processo muito natural o fato de eu me aventurar pela escrita (todo leitor assíduo um dia começa a sonhar com a carreira literária). Lia de tudo desde gibis da Turma da Mônica até Joaquim Manuel de Macedo (autor de A Moreninha) e Machado de Assis na adolescência. Revelo que, desde muita nova, eu também estudava espiritualidade e astrologia, visto que sempre busquei o autoconhecimento. Lia livros espíritas como A Mansão da Pedra Torta além de obras astrológicas.
     Um dia, após obter sucesso em uma redação na aula de Português com o título "Adocicando uma vida efêmera" onde eu refletia acerca da importância de viver intensamente e com doçura em uma vida curta como a nossa (imagine uma garota de apenas 16 anos escrevendo sobre a brevidade da vida e o confronto inevitável com a morte hehehe), eu decidi escrever. E, assim, passei a escrever pensamentos, poesias e textos em cadernos pessoais. Logo, eu sempre comprava dois cadernos: um escolar para as aulas de Português e um pessoal para guardar os meus segredos sentimentais, mentais e espirituais (opa, hehehe).
       Quando eu superei a minha timidez e entrei na Faculdade de Direito em 2010, comecei a gostar de falar em público e também de expressar as minhas ideias. Senti uma imensa vocação para a área da comunicação e o meu sonho de ser professora e comunicadora além de jurista passou a crescer dentro de mim. Tive vontade de revelar ao mundo os meus pensamentos, poesias e convicções e, desse modo, criei este Blogue: o "Recanto da Escritora."
       Muito embora eu não tenha livros publicados (aquele escrito na adolescência está passando por revisões, eis que interrompi o processo da escrita para ter foco na faculdade), eu me considero uma poetisa e uma escritora na alma. Coloquei o título de Escritora no Blogue não por orgulho ou pretensões, já que carrego com muita humildade e amor o ofício de comunicadora, mas pelo meu coração sempre ter vibrado em direção a esta vocação.
       Sinto que ainda tenho muito o que aprender quanto à metrificação de Poesia e à escrita literária. Sendo assim, estou disposta a estudar e amo evoluir a cada dia. Gosto de mergulhar dentro de mim e comunicar a minha jornada com as outras pessoas. Quero exercer a comunicação das minhas convicções e ajudar as pessoas no processo de autoconhecimento, conhecimento, cultura e reflexão.
      A minha história com a criatividade vem da infância hehehe. Quando eu brincava de bonecas, eu descobri o meu dom de inventar histórias. Toda menina inventa histórias para a sua Barbie ou Susi viver e as minhas eram bem dramáticas e até deixavam emocionadas as amigas que brincavam comigo. Hoje eu continuo inventando histórias só que, ao invés de ter um elenco formado por bonecas, eu tenho uma tela de computador em branco na minha frente e uma sopa de letrinhas hehehe.
       A poesia surgiu naturalmente na minha vida. Recordo que, quando eu tinha 9 anos de idade, eu escrevi duas músicas: "Quem não gosta de chacoalhar o esqueleto?" e "O mundo gira 24 horas". A primeira era uma música divertida que eu escrevi ao brincar de compor com uma amiga. A música fazia referência à importância de celebrar a vida, dançar, "chacoalhar o esqueleto" hehehe.

                 
     
        Eu também sempre fui fã de A Bela e a Fera da Disney e considerava Juba e Cecília (protagonistas de Bicho do Mato) parecidos com o príncipe Adam e a princesa Bela. Confesso que os personagens de meu livro são parecidos fisicamente com Juba e Cecília ou com a Bela e Adam. Mas, a história de meu livro é totalmente diferente e envolve simbolismos místicos do meu autoconhecimento.
         Revelo que gosto de personagens masculinos com cabelos compridos. Desde o Sansão bíblico até os cantores de Heavy Metal, há um simbolismo de força, ousadia e valentia nos cabelos compridos.
       Continuo sendo fã de André Bankoff e de Renata Dominguez hehehe. A química astrológica dos dois é fantástica: ele é do signo de Virgem e ela de Peixes. Virgem e Peixes são arquétipos complementares além da existência da compatibilidade nata entre terra e água. O casal formado por Juba e Cecília foi considerado o de maior química de telenovela pela Revista Contigo da época.
       
       Espero que tenham gostado do meu "Arquivo Confidencial" hehehe e das minhas revelações acerca do meu processo criativo na infância e adolescência.

       Hoje sou advogada e as palavras fazem parte do meu ofício. O Direito como um ramo das Ciências Humanas tem a palavra como instrumento principal. Assim como o médico, ao realizar uma cirurgia, necessita do bisturi, o jurista precisa da palavra para fazer justiça. Sou apaixonada pelo Direito e pela possibilidade de ajudar as pessoas e a sociedade, promovendo os direitos fundamentais da pessoa humana e a cultura.

  Quanto ao Pantanal, eu e uma amiga da faculdade temos vontade de conhecer este local. Uma das nossas preocupações é quanto à preservação do Direito Ambiental da região.

Saiba mais sobre o Pantanal:


O Pantanal sofre influência direta de três importantes biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. Além disso sofre influência do bioma Chaco (nome dado ao Pantanal localizado no norte do Paraguai e leste da Bolívia). Uma característica interessante desse bioma é que muitas espécies ameaçadas em outras regiões do Brasil persistem em populações avantajadas na região, como é o caso do tuiuiú – ave símbolo do Pantanal. Estudos indicam que o bioma abriga os seguintes números de espécies catalogadas: 263 espécies de peixes, 41 espécies de anfíbios, 113 espécies de répteis, 463 espécies de aves e 132 espécies de mamíferos sendo 2 endêmicas. Segundo a Embrapa Pantanal, quase duas mil espécies de plantas já foram identificadas no bioma e classificadas de acordo com seu potencial, e  algumas apresentam vigoroso potencial medicinal.


http://www.mma.gov.br/biomas/pantanal
 
Site do Ministério do Meio Ambiente.


Abraço!

Taty.

Confiram cenas da novela Bicho do Mato com a música So Right So Wrong de Conttato:

 
               https://www.youtube.com/watch?v=UgyaQOC-9rE

7 comentários:

  1. Grande poema! Achei fantástica a polissemia. Que talento, Taty!

    ResponderExcluir
  2. Grande poema! Achei fantástica a polissemia. Que talento, Taty!

    ResponderExcluir
  3. Professor Fernando, que honra ter a sua visita por aqui! Agradeço o comentário e o elogio! Fico feliz por ter gostado! Eu amo a polissemia dele tb hehehe ;). Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Ameiii a análise tua... e sobre novelas, acabei de ler sobre Chocolate com Pimenta, tens um talento maravilhoso por interpretar situações. Amiga, teu talento é de outro mundo.

    ResponderExcluir
  5. Olá, amiga! Fico sempre muito feliz com a tua visita por aqui! Tu és muito talentosa também no âmbito das palavras! Beijo grande! ;)

    ResponderExcluir
  6. Encantada e emocionada em ler a pureza e sinceridade da sua alma Taty!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita carinhosa aqui no meu blog. Beijos. ;)

      Excluir