O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





sábado, 30 de abril de 2016

Das batidas do coração



Do útero, nasce a vida.
Nascer dói, respirar dói.
O florescimento dos pulmões dói
como um na alma recém nascida.

Do primeiro caminhar, há os tropeços,
as crianças caem e ralam os joelhos.
O primeiro falar provoca o gaguejar
enquanto as palavras brotam da alma.

A primeira brisa dói ao tocar a pele
daquele que sempre esteve no lar
protegido em redomas de vidro,
escondido no tempo de Cristo.

Demora-se até se acostumar com a vida,
leva-se um tempo para descobrir o corpo próprio,
separado do corpo da mãe, individualizado,
perambulando pelas praças, nadando em rios.

Somos borboletas sem casulo,
voando frágeis no deserto com néctar de lágrimas,
sobrevivemos à frieza e à incompreensão.

Por mais forte que sejamos, somos frágeis.
Somos como bebês recém nascidos e vulneráveis
que ainda não sabem viver fora do útero
neste mundo pérfido, venenoso e inseguro.

Das batidas do coração, o milagre da vida,
das batidas do coração, o falar de Deus,
das batidas do coração, o impulso para a vida,
a coragem, a superação e a força invicta.

Há uma força maior regendo a Alma,
há uma maestro invisível conduzindo a força.
Das batidas do coração, o sangue quente que sustenta
o nosso corpo, a alma e também os sonhos.

A força supera a vulnerabilidade,
a superação nasce da gloriosa vontade.
Das batidas do coração, a luz e a verdade
guiando a alma no rumo do Grande Arquiteto.

Poesia escrita por Taty Casarino.


Nenhum comentário:

Postar um comentário