O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





quarta-feira, 9 de março de 2016

A vingança dos fracos


A justiça é a vingança do homem em sociedade, como a vingança é a justiça do homem em estado selvagem.
Epicuro  

A vingança é uma espécie de justiça selvagem.
Francis Bacon



Alice, você reconhece Peterson?
O valentão dos tempos remotos
hoje treme no banco dos réus.
O céu envolto por sangue de apátrida.

A vítima é sempre uma espécie apátrida.
Brutalmente assassinada, na terra não se encontra,
mas também no céu ainda não ascendeu
devido aos gritos da injustiça.

Alice, você reconheceu Peterson?
Tão medroso, tão calado e tão inseguro,
um réu desonrado e perdido no escuro.
Não há mais sadismo em seus horrendos olhos.

Alice está vestida de preto
e, nos seus olhos, não há tempo para medo.
Peterson, você reconhece Alice?
Vê a menina zombada na hora do recreio?

Tudo o que você vê é a capa preta,
a altivez, a postura, a eloquência,
a lucidez, a bravura, a aparência de orgulho,
tudo menos a alma e o coração puro.

Consegue ver o coração puro outrora ferido?
Consegue ver a alma machucada e oprimida?
Consegue ver, por trás da mulher, a menina?
Consegue ver a humildade atrás da máscara de vidro?

Peterson, você reconhece Alice?
Ela é aquela que despreza todos os seus beijos
e ignorou veementemente todo o seu cortejo,
humilhando o seu ego másculo e sem esteio.

E sabe, ao menos, desvendar essa lenda?
Por que mesmo chamando-a de bela agora,
todos os seus elogios foram ignorados com escárnio?
Porque ela era a menina que você chamava de feia.

Peterson, você reconhece Alice?
A menina que se escondia atrás do mural da escola
para chorar longe de sua desagradável presença
é esta mulher que, bravamente, lhe acusa com veemência.

Hoje ela rodopia com graça,
dando voltas e voltas diante de você.
Enquanto você chora dentro d'alma,
ela esboça um doce sorriso irônico.

Peterson, quem é forte hoje?
Sua "valentia" bruta levou a sua vida ao abismo,
mas o medo superado dela é a glória e o heroísmo
que você tanto inveja no tremor de seu egocentrismo.

Peterson, sabe quem é Alice?
Até hoje você só viu a Rainha Branca,
mas dentro dela há uma Rainha de Copas
de força cruel, tirana e perigosa.

Quando o chapeleiro maluco dança
na corda bamba do destino,
a roda da fortuna gira com bravura.
E, então, os fracos tornam-se fortes.

As lágrimas são enxutas pelo sol,
o medo é substituído por uma coragem estranha
e a justiça grita bravamente do topo da montanha,
anunciando a glória do eremita e de sua sabedoria.

E, nessa hora, as máscaras caem.
Os maus são condenados à dor inevitável,
e os justos herdam a coroa dos céus,
sendo cercados por leões e anjos.

Os olhos dela em sua direção
emanam as verdades insuportáveis.
As testemunhas reunidas por ela
não parecem rostos familiares a você?

Peterson, você reconhece a testemunha Maria?
Ela está acompanhada de Laura, João, Marina,
Rodrigo, Estevão, Carlos e o bondoso Diego,
todas as pessoas que já foram humilhadas por você.

Alice reuniu as pessoas mais feridas,
curou-lhes o ego e deu-lhes a vida.
Todos os fracos hoje renasceram das cinzas
fortes, seguros, corajosos e imbatíveis.

Eis que hoje você se sente humilhado
pelas palavras da advogada dos fracos,
pobre homem que não conhece a luz,
suportando o peso da justiça que ela conduz.

Poesia escrita por Taty Casarino.



Esta poesia remete ao estágio de amadurecimento, onde a inocência e a fraqueza gradativamente se transformam em sabedoria e força. Assim, os que antes eram considerados fracos tornam-se fortes enquanto os "valentes" brutos caem na fraqueza e no vício. A poesia alerta também para o fato de que a violência começa na escola e que o "valentão" que zomba dos colegas pode ser em um futuro próximo aquele que comete violência e que acaba no banco dos réus. O nome "Alice" citado no poema é uma homenagem à personagem Alice de Lewis Carrol, símbolo do mundo onírico e da pureza da infância.

Alice's Adventures in Wonderland, frequentemente abreviado para Alice in Wonderland (Alice no País das Maravilhas) é a obra mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada a 4 de julho de 1865 sob o pseudônimo de Lewis Carroll. É uma das obras mais célebres do gênero literário nonsense.
O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropomórficas, revelando uma lógica do absurda característica dos sonhos. Este está repleto de alusões satíricas dirigidas tanto aos amigos como aos inimigos de Carroll.


  Escute a música tema de Alice para adentrar no mundo lírico da poesia:

            

  Confira a letra da música Alice's theme de Danny Elfman, a qual fez parte da trilha sonora do filme Alice no País das Maravilhas produzido pela Disney em 2010.  Esta letra traz a reflexão acerca dos diversos caminhos e "portas" que a vida pode oferecer, sendo assim não podemos adivinhar o que uma criança pode se tornar quando crescer. E se aquela criança tímida ocupar um cargo de poder amanhã? E se a criança que zomba das outras cair no mundo do crime na vida adulta?




Alice's Theme

Oh, Alice, dear where have you been?
So near, so far, so in between?
What have you heard? What have you seen?
Alice! Alice! Please, Alice!

Oh, tell us, are you big or small?
To try this one or try them all
It's such a long, long way to fall
Alice! Alice! Oh, Alice!

How can you know this way not that?
You choose the door you choose the path
Perhaps you should be coming back
Another day, another day

And nothing is quite what is seems
You're dreaming. Are you dreaming? Oh, Alice?

Oh, Alice!
Oh!

Oh, how will you find your way? Oh, how will you find your way?
No time for tears today. No time for tears today.
No time for tears today. No time for tears today.

So many doors - how did you choose?
So much to gain so much to lose
So many things got in your way
No time today, no time today
Be careful not to lose your head
Just think of what the doormouse said…Alice!

Did someone pull you by the hand?
How many miles to Wonderland?
Please tell us so we'll understand
Alice…Alice…Oh, Alice

Oh how will you find you way? … Oh, how will you find you way?
 

Tema de Alice

Oh, Alice, querida, por onde você esteve?
Muito próxima, muito distante ou no meio?
O que você ouviu, o que você viu?
Alice, Alice, por favor, Alice!

Oh, conte-nos, você é grande ou pequena?
Para experimentar este ou experimentar todos
É um longo, longo caminho para cair
Alice, Alice, oh, Alice

Como você pode conhecer este caminho e não aquele?
Você escolhe a porta, você escolhe o caminho
Talvez você devesse estar voltando
Outro dia, outro dia

E nada é exatamente como parece
Você está sonhando, você está sonhando, oh, Alice?
[Oh, como você encontrará seu caminho? Oh, como você encontrará seu caminho?]
[Não há tempo para lágrimas hoje. Não há tempo para lágrimas hoje.]

Tantas portas - como você escolheu?
Tanto para ganhar, tanto para perder
Tantas coisas ficaram em seu caminho
Sem tempo hoje, sem tempo hoje
Cuidado para não perder sua cabeça
Apenas se lembre do que o Dormidongo disse... Alice!

Alguém te puxou pela mão?
Quantas milhas até o País das Maravilhas?
Por favor nos conte, então entenderemos
Alice... Alice.. Oh, Alice

[Oh, como encontrará seu caminho? Oh, como encontrará seu caminho?]

Nenhum comentário:

Postar um comentário