O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Lago Cristalino




Os dias passam como areia,
um monte de areia escorrendo
na tenebrosa ampulheta da vida.
O tempo não cabe na palma da mão.

Uma estrela cadente: assim é a Vida.
Um broto que nasce, cresce, murcha e morre.
A vida passa, o tempo escorre, escorre,
as flores perfumam o vento que corre.

Tão presos no corpo, tão presos na alma,
estão como loucos a sonhar
com liberdade e calma.

Tão escuro, tão claro, dia e noite,
sol, lua, bonança e tempestade.
Dê a mim sete razões para ser livre,
dê a mim setenta e sete glórias.

Na palma da mão, a sua história.
A cigana dança, lê o seu passado,
ri do seu futuro e vai embora.

Redemoinho: assim é a mente.
Uma tormenta egóica que destrói,
quem devora é devorado
e quem respeita é respeitado.

Júpiter é a bonança,
grande sorte do arqueiro.
Tanto riso, tanta alegria,
tudo é profícuo quanto mais louco.

Se, do abismo, continua a sorrir
com um temperamento de graça,
beleza, loucura e inocência,
ensina-me a libertar a minha alma.

Tão presos no corpo, tão presos na alma,
sorrisos de lembranças e lágrimas.
Corações oprimidos pelos sonhos,
sonhos dourados, correntes de aço.

Os anéis de saturno são de aço,
os sonhos de netuno são dourados,
vênus atira a flecha e ri sem compasso
dos pobres corações apaixonados.

Mil pétalas de rosas
caem do límpido céu anil:
Assim é Deus! Assim é Deus!
Deus é o mar translúcido.

Deus é o céu limpo, sem nuvens,
Deus é o lago límpido, sem sujeiras,
Deus é o silêncio absoluto, tudo é uno.

Deus é o que está além da mente.
Crenças, dogmas e ideias: nada disso é Deus.
Discussões religiosas são frutos do ego.
A religião é fruto da mente, mas Deus vem do coração.

Paz de Cristo, Nirvana de Buda,
sabedoria de Maomé, luz do Espírito:
tudo é o mesmo princípio,
tudo prega o lago límpido.

Diabo, inimigo, ego,
trevas, larva astral:
tudo é a mesma coisa,
a sujeira no fundo do lado.

Quem suja o lago? Quem?
A nossa mente, as nossas vozes.
Não deixe que as vozes violentem o silêncio,
silencia a tua mente, silencia a voz.

"Psiu!" Exclamei às vozes.
"Psiu!" Exclamei às...
"Psiu!" Exclamei...
"Psiu!"

Poesia escrita por Taty Casarino

Confira o Vídeo-Poema com belas imagens embalando os versos do Poema recitado pela voz de Taty Casarino

2 comentários:

  1. Amei essa poesia. Penso muito no tempo que achamos que temos. Tempo que nada mais é do que o momento vivido intensamente, momento de agora, agora mesmo... Amei o áudio, o final ficou maravilhoso!

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que gostou dessa poesia! Estou amando os seus comentários ;) O tempo é mais curto do que a gente imagina, a vida é pequena demais para ser oprimida por maus pensamentos. :)

    ResponderExcluir