O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Anoitecer



No escuro da noite,
enquanto os pássaros dormem,
ouço voos estranhos e murmúrios,
são os açoites e não me orgulho.

Os açoites do mal,
os pássaros negros e os espinhos,
os vícios da alma que emergem
num mais profundo suspirar.

As lágrimas de dor,
as lápides das angústias,
as forças sombrias e intrépidas
das entranhas que sobrevivem
junto aos escorpiões.

Os vícios dos outros
são sempre ótimos espelhos
para os nossos vícios de cada dia.

A irritação profana,
o errar de alvo,
o pendurado e o louco,
o mal lavado e o mal falado.

Hipocrisias dementes
desta sociedade demente,
errantes profanos cegos ao luar.

Eu sou a rosa que sangra,
eu sou a rosa vermelha que chora,
aquela que vê Malkut com a alma,
aquela que arde o fogo do espírito.

Tatyana Casarino 

Nenhum comentário:

Postar um comentário