O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





sábado, 29 de novembro de 2014

Entre a Razão e a Apatia




Desertos sem sol,
frieza árida dos dias,
secos e cálidos amores,
doces sorrisos sem cores.

Jogos sem emoção,
vida cinzenta sem amor,
razão tirânica, maquiavélica.

Barcos sem destino,
pavores contidos imemoráveis,
voos sem esperança,
paz sem temperança.

Dor de apatia,
oh! que saudade da agonia!
Prefiro as lágrimas,
ainda que tortuosas da paixão,
à apatia sem cor, sem chão.

Olhares parados, esquizofrênicos,
ruas sem saída alguma,
amores calados,
dor silenciosa,
indignação cansada.

Revolta que se calou,
rebelião que se tornou silêncio,
mares e brumas sem sal,
sol frio e deserto.

Deserto, deserto,
falta de alegria,
falta de entusiasmo,
coração fechado,
razão tirânica.

Olhares tristes sem futuro,
coração trancado sem passado,
tédio feito de dor,
razão que calou o amor.

Taty Casarino

Este poema descreve a apatia gerada pelo excesso de razão, o que ocasiona falta de emoção, entusiasmo e até mesmo alguma espécie de depressão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário