O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Pensamentos

                   

 
   A vida é triste e a melancolia é tudo o que existe de mais profundo e verdadeiro. Entretanto, a nossa missão humana é tornar a vida feliz ainda que a consciência traga o ônus da percepção de todas as mazelas.

Há dois tipos de felicidade: a felicidade falsa estampada em fúteis sorrisos na embriaguez de uma festa; e a felicidade legítima estampada num doce sorriso de uma face que faz esforço para sorrir após ser banhada pelas lágrimas.

A vida leva tudo embora: sorrisos, alegrias, amores, amizades, conquistas e sucessos. Assim como a onda declina e não há nada que perdure na crista da onda, não há alegria que dure para sempre. Todavia, há uma coisa que a vida não consegue arrancar de nós: o nosso conhecimento.

Na verdade, perante a morte, tudo é em vão.

O encanto da vida é permanecer encantado por ela mesmo após tantos desencantos. 

A diferença entre os demais jovens e eu é a de que eu não me iludo mais com os antagonismos da vida como bem e mal, alegria e tristeza, sorte e azar. Não sou apática, muito pelo contrário, sou passional e espirituosa em meu normal estado de espírito, mas eu sei que tudo passa. Até a minha existência passa, eis que sou mortal. Eu tenho consciência da morte e gosto de pensar nela desde a juventude para fortalecer minha fé e ter um fim menos doloroso.



Eu aprendi que, para sobreviver no mundo, duas coisas são essenciais:
--Aprender a dizer "Não".
--Aprender a ser indiferente perante pequenos aborrecimentos.
Eu era uma pessoa que não sabia dizer não e que supervalorizava pequenos aborrecimentos. Então, eu percebi que estava à beira de um abismo. Apesar de toda a sensibilidade, eu optei pela vida. Logo, eu percebi que é necessário ser um pouco egoísta para sobreviver aqui. Eu também percebi que não adiante ter uma alma bonita se não houver a proteção da razão. É difícil para uma alma sensível treinar a indiferença em determinadas horas, mas é perfeitamente possível.

Não se desespere querendo que todo mundo goste de você. A antipatia, infelizmente, faz parte da vida. Lembre-se de que até mesmo Cristo, um ser de infinita luz, foi julgado e crucificado.

Os animais são as criaturas mais fiéis da face da terra. Quando todo mundo te abandona, lá está o seu bichinho de estimação bem pertinho de você.

Você percebe que está louco quando a alegria e a tristeza provêm da mesma fonte.

A família é a miniatura da sociedade.

Pensamentos de Taty Casarino.

2 comentários:

  1. Mas que importa a diferença,
    Entre a Cruz falquejada,
    E a tumba marmorizada,
    De quem viveu na opulência?
    Se todos somos iguais,
    Depois que finda a existência?
    Um patrão, um peão, um doutor, uma donzela,
    Tudo, tudo se nivela,
    Pela insignificância.

    Jaime Caetano Brown.

    ResponderExcluir
  2. Adorei este comentário. O poema citado tem tudo a ver com a postagem. A morte iguala a todos, por isso, devemos ter consciência da nossa finitude para promover uma vida mais humilde e consciente. Abraços, Taty.

    ResponderExcluir