O Cantinho de Tatyana Casarino. Aqui você encontrará Textos diversos e Poesias simples com a medida do coração.









Contador Grátis





sábado, 22 de setembro de 2012

Alma despida



Alma despida

Deitei sobre teu peito
naquela relva de flores
que beijava o lago
de lágrimas da doce cachoeira

Tu acariciavas minha pele
com pétalas de rosa
enquanto eu suspirava
e tocava em teus cabelos

Oh! Meu gentil cavalheiro
como tuas mãos se encaixavam
perfeitamente em minha cintura!
Docemente, tu desamarravas meu espartilho
antes de eu ser eternamente tua.

Carregaste-me despida em teus braços,
nossas roupas vestiam a grama florida,
levaste-me até a tua cabana,
e, em tua cama, centena de flores coloridas
envolviam minha pele alva.

Teu olhar devorador aproximava-se
enquanto, ferozmente, tu me beijavas
como se fôssemos morrer naquele instante.

Ah! Eu poderia morrer em teus braços,
nossas almas fariam amor no paraíso,
e tudo seria luz e riso.

Em frente de sua cama,
passarinhos e borboletas pousavam
nas flores que adornavam sua janela.

Ao som dos pássaros,
teus lábios acariciavam meu corpo.
Arrepiei-me quando as tuas mãos tocaram em minhas costas,
nossas pernas entrelaçavam-se
enquanto o fogo das velas flamejava.

Oh! Eu entrego-te minh'alma,
e entrego-te meu corpo.
Só tu podes desvelar meu espírito
e me amar pela eternidade.

O sol se despediu de nós,
os últimos raios de luz
brilharam em teus olhos.
Logo a lua chegou, beijando a cachoeira,
ela abençoou nosso puro amor.

É como se teus lábios tivesse marcado
o meu corpo para sempre.
Ainda me lembro de teu calor,
e da noite mais feliz
que minh'alma viveu.

Hoje, só me restam memórias
de nossa história de amor,
tua linda face gravada
nos recantos de minh'alma
pela eternidade...

Tatyana Casarino

Poesia inspirada na primeira noite de amor dos personagens do livro "Memórias de uma princesa" que está a ser escrito por Tatyana Casarino.


Um comentário: